quinta-feira, 24 de março de 2011




UMA PRAIA

NESTA PRAIA VAZIA DE MEUS SONHOS
SINTO EM MEU PEITO PULSAR
A GLÓRIA DOS RAIOS DE SOL QUE ME INUNDAM.

ESTES RAIOS SÃO SOLIDÃO E MISTÉRIO.
PARTE INDECIFRÁVEL DE MEU SER.
QUE CHORA E SORRIR EM DESPEDIDAS.
QUE AMA E QUE AMA COM LOUCURA.

NESTA PRAIA DE MINHAS INQUIETAÇÕES
ME AVENTURO EM DEMASIA VÃ.
NÃO HÁ NADA MAIS QUE ME LEVE DESTA PRAIA
EM QUE MEUS SONHOS SÃO REAIS
  E MEUS PALPITES SÃO CERTEIROS.

AVENTURAR-ME UM DIA NO AMOR
FOI UMA LOUCURA TÃO DOCE.
ME PERDI POR VOCÊ NESTE VAZIO
ME SENTI TÃO SOZINHA NESTA PRAIA.

AGORA QUE O SOL ABRASADOR ME INVADE
ME QUEIMA, ME ALEGRA...
AGORA POSSO EXISTIR SEM VOCÊ.
NÃO POSSO SER CONSUMIDA PELA GELEIRA INSOLÚVEL
DE SUA AMARGURA.
POSSO SER LIVRE, POSSO VOAR NOS RAIOS DE SOL.
POSSO NAVEGAR PROFUNDAMENTE EMBRIAGADA
NESTA PRAIA, QUE OUTRORA FOI ILHA.


MARIA JOSÉ C. DE OLIVEIRA