segunda-feira, 27 de junho de 2011

JOVEM POETA ( Jhon C. Dhampir)



Este meu querido jovem poeta sente muitas emoções em seu peito e as vezes tem receio de não ser bem interpretado....
Como pode ser cliche alguem que fala de amor?
Como pode ser comum e patético alguem que não tem medo de dizer "Eu te amo" depois de tanta dor?
Como pode ser lixo ou não ter valor teus sentimentos hem meu querido poeta?
Ainda há pessoas como você que me fazem crer na graça da vida.
Ainda há pessoas como você que me fazem crer na ternura do amor e na força das palavras que para quem escreve é o nosso carro chefe.
Ainda há vazios e lacunas que o tempo preencherá em nossas almas, mas não podemos parar por aqui, não devemos parar por ninguém.
Estes são os nossos sentimentos, os nossos sonhos e ninguém, absolutamente ninguém pode tirá-los de nosso coração além de nós mesmos!
Sempre que digo para ser forte e não desistir, as vezes temo que tua alma já não me possa escutar.
As vezes temo que outros já tenha destruído tua essência e que teu peito já não possa mais entender o que falo.
Ainda estou aqui poeta e simplesmente AMO o que escreves!
Cabe agora somente a ti acreditar na sinceridade de minhas palavras ou julgá-las verdadeiras!
Publico isso para que não duvides nem de tua capacidade extraordinária de tocar meu coração com tuas palavras, nem do efeito inspirador que tens sobre mim. E tampouco que duvides de minha amizade!

Jovem Poeta ( Jhon C. Dhampir)