segunda-feira, 20 de junho de 2011

POR UM POETA QUE SOFRE



       
       As lágrimas molham a minha face...
       Elas insistem em queimar minha face triste...
       O sorriso foi furtado de meus lábios diante de tua confissão...
       Toda alegria esvaiu-se de mim como que levada pela brisa gélida que me tocou...   Tua dor inundou minha alma...  Teu sofrimento se abrigou no meu peito...
       Tua triste e sombria história dá mil voltas em minha mente, me alveja como uma flecha envenenada e me entorpece.
       Eu queria poder reescrever tua vida. Eu queria poder apagar de tua mente todo o teu sofrimento.
       Ah! Se tu fosses um de meus poemas eu te definiria belamente, te inundaria de alegria e te incrustaria de esperança.
       Eu quero poder gritar e fazer ir embora de você toda essa magoa que te subtrai da esperança de viver. Mas, eu não posso...
       Apenas você é que pode decidir apagar o passado tão cruel,
superar as amarguras e seguir em frente. Apenas você pode escolher amenizar as dores passadas e escrever um futuro brilhante e feliz.  
Se você ainda não consegue enxergar a luz no fim do túnel...   CONFIE... Siga agora o reflexo desta luz nos meus olhos meu querido amigo poeta. Deixe que meus olhos sejam o seu farol por um pouco...
      
P.S*** Menino querido/
              Tenta acreditar/
              Teu peito ferido/
              Ainda pode sarar!
                         
                                                   (17/06/2011)
                     


Uma lua só para você!