segunda-feira, 18 de julho de 2011

A você!

                       
 
       Tu foste um sonho dourado de uma bela noite de verão...
      Tu foste também inspiração para muitos poemas de amor...
Tu foste muito mais que um amante a moda antiga, fostes um grande
               amor que não pode ser esquecido jamais!
  Tu foste intensa marca num peito prateado, num coração coroado
                            com teu sorriso!
            Fui também uma boa lembrança em teu viver...
        Talvez uma tórrida aventura de momento ou algo mais!
            Marcastes meu dia e não te poderia dizer adeus.
  Tu também não poderias me dizer adeus, e não dissestes... Fostes
            embora sem olhar para trás e sem dizer adeus!
                            Sofri, é verdade.
  Não entendo ainda sua ausência tão desnecessária, minha dor tão
                                 cruel...
                       Sinto-me sozinha de fato...
  Mas, seria estranho se você voltasse e não houvesse a magica e os
                 sentimentos dantes experimentados...
                       E sinceramente já não há!
  Já que você deixou meu peito sem olhar para trás, então não volta
                                  mais!
Nunca mais se lembre do beijo e do abraço, que eu buscava proteção
em teus braços, não lembra mais do meu sorriso e de minha inocente
  vontade de amá-lo sem limites, não lembre mais de nada, talvez já
             seja demais esperar que se lembres de mim!
                              Não importa!
        Ainda lembro-me de ti, aliás, sempre me lembro de ti...
  Estás presente a cada instante, mas já tento me acostumar com o
 vazio que causastes dentro de mim, já tento viver com a verdade de
           que jamais voltarás, não por mim, não para mim!
Deixaste-me com um medo terrível de crer novamente e isso é culpa
                                   sua!
           Mas, deixaste-me uma coisa linda para recordar...
               Não! Não é você minha melhor lembrança!
 Foi o sentimento que despertastes em mim que me faz feliz quando
                            me lembro de ti.
 São os sorrisos e as esperanças que plantastes no meu peito, estes
 mesmos, que me fizeram imensamente realizada, ao menos por um
  pouco, pude tê-los do meu lado e era bem mais fácil sorrir para o
                                amanhã.
   Não tem preço essa emoção e comoção que me abrigou quando
      sorristes para mim com lindos olhos de promessas doces...
       Não tem preço as razões que me fizeram crer e amá-lo...
             Mas, você se foi e quantas saudades eu sinto!
Vou viver não te tuas lembranças, eu viverei de meu próprio néctar e
              me alimentarei de minha própria esperança.
                      Sorrirei por outros motivos!
Talvez um dia, quando eu menos espere, você surja em meu caminho
                  e me surpreenda com sua presença.
Talvez não, talvez você nunca mais me veja e eu também nunca mais
             te encontre, a vida tem dessas e eu entendo...
       Às vezes temos mesmo que deixar os sentimentos irem...
          Deixá-los seguir seu caminho e nos abandonarem...
           Sobrará dentro de nós um vazio intenso e imenso!
                             Sobrevivemos!
                         Eu também sobrevivi!
            E ainda sonho com a felicidade ao cair da noite.