terça-feira, 30 de agosto de 2011

Sua lembrança

   Caminhava distraída pelos corredores da vida e sem perceber acabei cruzando com suas lembranças, isso mesmo, fui assaltada por sua presença, outrora tão real e tão querida... Quando você resolveu seguir seu caminho e deixou-me para trás confesso que doeu, mas quando tento esquecê-lo então seu sorriso e suas lembranças teimam em me fazer recorda-lo e também lembro que não pude esquecê-lo.
    Quando mergulhada por minhas obrigações procurava um artigo no computador, deparei-me com uma foto sua. Sim, isso mesmo, aquela foto em que você me fez acreditar, aquela foto que simboliza nós dois e tudo que podíamos ter vivido. Senti um nó na garganta e uma lágrima quente escorreu em minha face, depois outra e outra...
Sei que estás feliz agora, posso saber isso só de olhar em teus olhos meu querido... Mas, é se tivesse sido diferente? E se tivessemos tido uma chance, sabe de verdade? Então , talvez, eu hoje também pudesse estar feliz.
   De certo modo estou feliz por vê-lo sorri para ela, por saber que sua alegria é verdadeira e que seus sonhos se realizaram, no entanto seria hipocrisia não dizer que queria que tivesse sido eu a fazedora de tua alegria, a dona de teus desejos, a mulher da tua vida,mas não fui... Não posso me lamentar por ter sonhado, valeu pelo sonho, lamento por não poder tẽ-lo aproveitado melhor... Pobre eu, sempre tão preocupada com o amanhã que simplesmente nem sequer cogitei a possibilidade dele existir sem você. 

   Ele chegou, encaixou sua mão na minha. sabia que era pra sempre. Fomos o encaixe perfeito. E tinha pássaros e borboletas, tinha chuva e música. Não faltava nada! Tinha tudo pra dar certo! Me pergunto então agora, por que meu amado, por que não estamos juntos? Por que não escolheste-me para tua vida, para teu braço, para teu jardim de sonhos encantados?
  Agora que faço este desabafo sobre a dor de não te ter aqui, quero dizer logo tudo. Quero gritar a mágoa de meu peito e a tristeza de minha alma, mas muito mais que isso quero poder acreditar que um dia, quando eu menos esperar, haverá outro encaixar de mãos tão perfeito como o nosso e então sim, poderei ser finalmente amada e também feliz, muito feliz!
  E se em meio a minha felicidade, sua lembrança vier me assaltar novamente, abraçarei meu amado e o beijarei ternamente. Olharei para tuas lembranças, saberei que não estas mais em mim. darei as costas e encaixando minha mão na mão dele seguiremos apaixonadamente a conversar alegremente pelo longo caminho da vida. Seremos uma dualidade única. Eu ou ele? Ele ou eu? Ninguém será mais capaz de separar nós dois, porque seremos apenas UM.


terça-feira, 23 de agosto de 2011

Mundo novo




Admirável mundo novo este que fizestes surgir dentro de mim...
É que aqui tudo agora é mais vivo, mais bonito, sabe?
Quando me perdi nos cantos do mundo achei sinceramente que fosse o fim.
Sem mim eu não podia ser eu.
Logicamente neguei sua existência dentro de mim e me sufoquei por um instante.
Mas de repente [ como no poema do Vinicius] me vi assim perdida de paixão por você.
Escrava de um sentimento inevitável, inexorável,irresistível.
Prisioneira de um peito varonil e um pouco confuso.
Confuso pra eu ter te amado em segredo, em silencio, em contemplação por tanto tempo.
Ouvia suas palavras e elas não podia atravessar o abismo de minha alma, mas sem que me desse conta, estava perdida, apaixonada, envolvida como uma presa de sucuri.
O que eu poderia fazer se não me entregar e acreditar?
Quem pode me culpar e julgar por eu não ter resistido? 
Você sim é culpado. Irresistível, apaixonante, eternamente talentoso na arte da paixão.
Pronto! Confessei-me apaixonada e amante de tua alma.
Sim, estou feliz que também me ame!
Não, AINDA não posso ficar contigo para sempre.
É como um ritual, agora é tempo de começar a conhecer o paraíso delicadamente.
Mas, ainda não é tempo de tocar nas flores, de sugar o néctar, de sentir o aroma profundamente.
Não, agora é tempo de calmaria e desejo.
Tempo de sorrir pelo amanhecer belo, mas vazio sem o outro.
Tempo de ficar bobo, sorrir a toa, falar da pessoa amada toda hora, desejar sua presença, ouvir sua voz a cada fino som do vento, mandar mensagens apaixonadas pela lua, sentir a brisa como um cúmplice desta paixão.
Sim, porque não é tempo de ficar juntos?
Porque AINDA não é amor, eterno amor.
Porque AINDA é só um paixão avassaladora.
Paixão avassaladora é como sentimento escrito na areia, vem a onda e carrega consigo o resto dos amantes.
O amor é como a rocha.
Quando finalmente for amor, então será tempo de ficar juntos para sempre.
Não! Não teremos problemas, seremos tão fortes como a rocha!

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Dez ás doze

 
Sei que você é um cara mau.
Meu coração é que se abala
Quando nossos olhos se cruzam...
Mas, você é incorrigível.
Mas, você é um cara mau.
[ Sei que você não se importa
Também não me importo muito.]
Meu coração palhaço é que se importa.
Meu coração palhaço é que se abala.


É minha alma que treme
Com teu vibrante olhar.
Mas, mesmo assim...
Jamais vou amar você.
Você é um cara mau.

Meu coração prefere os caras maus,
Eu não, eu prefiro os bonzinhos.
Não entramos em consenso,
Brigo com meu coração
Que só palpita pelo cara mau.

Deixa! Por favor, coração!
Me deixa amar um cara bom...
Me deixa, só dessa vez
Amar quem tanto me ama.
Só dessa vez, me deixa ser feliz!

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

PENSAMENTO

 
Eu tinha pensado em escrever algo especial
Qualquer coisa que tocasse o coração, sabe?
Mas, de repente meu mundo caiu e minha vida esvaiu-se de mim.
Fiquei sem rumo, sem plano, sem nada...

A luz? Sim, eu vi a luz...
Se fui em sua direção? Claro que sim.
Ah, quer saber se respirei aliviada? Obvio né, afinal era a luz no fim do túnel.
E por que não estou feliz? Ah, essa é fácil.
' Nem tudo que reluz é ouro,
Nem tudo que brilha é luz.'
É isso aí!
Não era a luz era o fim do caminho.
Não era a saída, era o adeus final.
Não era um amor indo embora...
Era meu grande morrendo e me levando com ele.

Sim, estou triste.
Sim, escrever me alivia e ajuda a suportar...

Mas que isso, acho que estou amando de novo...
Isso me fez dizer adeus mais facilmente ao passado
Receber mais gentilmente o presente
Sonhar mais intensamente com o futuro!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Incoerência



Eu ainda não amo você!
Eu ainda não estou apaixonada!
Não pretendo machucá-lo
Só por amar ser sua amada.

Não, não chora meu menino
Ainda muitas aguas rolarão
Passaremos toda nossa vida
Tentando encontrar este sentimento?
Será que não é só um sonho?
Somente coisa de um momento?

Não! Não me diga adeus agora.
Não! Não se vá com esta dor.
Ainda creio ser muito cedo
Para sofrermos por este amor.


Não vamos falar do amanhã.
Nem fazer planos para o futuro.
Vamos sorrir para o hoje...
Tentar ser feliz por um pouco...
Então assim, sem pressa de nada
Chegará o amanhã e acordaremos
Um nos braços apaixonados do outro
Até que não haja vida alguma em nós.
Ou até que o amor nos consuma, nos invada
E nos enlouqueça!


Incoerência essa minha de não amá-lo, mas...
Desesperadamente querê-lo!
De ardentemente desejar você para mim!
De sonhar com seus beijos de lua e
Já no fim da noite chamar seu nome baixinho
E dá boa noite querido!

Não. Eu ainda não amo você!
Sim. Eu sei que estou mentindo...

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Ausência

Longos dias estes de inverno
Quando as gotas de chuva
Fazem graça em minha face
Eu? Eu não me importo
Escondo as lágrimas, disfarço o choro
Seguindo em frente, mesmo tão só.

Quando amanhã lembrar-se de mim
Espero trazer-lhe aos lábios um sorriso
Lembrarás dos meus olhos apaixonados?
Ou talvez de minha voz macia,
Meu abraço quente, meus lábios saborosos?
Lembrará então que meus braços 
Estão vazios e minha alma
Intensamente entristecida por tua ausência.

Existem muitas lacunas em minha alma
Sua presença acalma meu espirito
Eu amo você! Então porque você não me ama?
Cura então este vazio no meu peito e 
Vem me mostrar a graça de se estar viva!

APAIXONEI-ME DE NOVO

   
Desvio meu olhar para o oceano. Vislumbro as gotas do amor doce que trago no peito. Choro juntos com o orvalho. Uma saudade invisível no meu coração.
Pode sentir que não te quero. Ou posso mesmo não dizer ou assumir.
Pode saber fitando meus olhos a imensidão do que sinto por ti.
Desgosto e dor misturam-se no meu seio. Já morto, já pálido, já triste. Amargura pelo adeus tão sofrido. Ardor pelo silencio que dilacera a alma.
Nunca saberei se foi um sonho. De fato despertar é algo mórbido. Seu vazio completa o meu vazio. Somos um só choro na madrugada fria.
Não há silencio, não há palavra. Não há mais nada a se viver, ou a se dizer ou a se pensar.
Basta que nos toque as gotas de sereno orvalho. Basta que nos inunde o peito o desejo de amar. Basta que olhemos juntos as estrelas e nos queimemos no sorriso da lua. Basta apenas que ao encontrarmo-nos nos olhemos intensamente e no estalar de um dedo nos entreguemos à paixão que nos devora a tanto...
Mesmo sem ti serei eu. Mesmo sem mim serás tu. Mas mesmo sem nós seremos nós. Porque somos eternos e infinitos amantes que em singelas manhãs sempre se encontrarão. Sempre alcançarão o êxtase da avassaladora e irresistível força de amar. E sempre terão a lua como testemunha da ínfima, mas intensa e sóbria paixão que os abate sorrateiramente em meio ao nada.
Sempre serão galhos de ti e de mim que farão nossa arvore sombrear verdes campos... Oferecer sempre aos amantes [Como nós também fomos outrora] uma sombra, um regaço, um abrigo, um lugar sossegado para amarem sem reservas, sem medo.
Um sossegado caminho por entre as pedras onde poderão descansar dos desatinos da vida, um paraíso só deles para que possam eternizar nos seus corações os sentimentos que os enchem hoje de alegria e felicidade. Então, talvez, não se percam um do outro como nós nos perdemos. Ou talvez não precisem jamais mendigar o amor de outros, como nós hoje mendigamos. Ou ainda, talvez, não se deixem afastar pela tempestade, talvez eles sejam mais rocha e menos areia, como nós fomos areia e simplesmente hoje não somos mais nada.
Somos apenas você e eu, nada mais!
Pergunto-me todas as manhãs, quando acordando vejo, seu lado da cama tão vazio e meus braços tão tristes e meus olhos tão risonhos, em que momento nós nos partimos e nos dividimos e deixamos definitivamente de ser felizes? Quando mesmo que decidimos que você ia embora, que eu que ia ficar sozinha? Quando mesmo que juntamos nossos sonhos e os dividimos meio a meio, matando alguns? Quando mesmo que falamos sobre a partida? Que era algo muito improvável e até impossível, dizíamos sempre que não podíamos ser um sem o outro, lembra-se disso? Quando? Afinal quando foi mesmo que o amor que existia tornou-se um latejar utópico nos nossos seios? Quando os nossos sorrisos começaram a desvanecer sem nem ao menos serem projetados para o outro?
Quando que os nossos beijos tornaram-se mornos acasos de fim da tarde e nossos abraços espinhos cortantes que dilaceraram nossa delicada pele?
Não amor. Eu também não sei essas respostas.
Só sei que hoje, ao abrir meus olhos e sentir a brisa que atravessava a janela e me tocava, lembrei-me de você e apaixonei-me de novo... Como na primeira vez!
Posso negar para mim, mas não posso negar para você que eu o amo muito e que hoje, especialmente hoje, senti muita saudade de nós!


[07/08/2011]

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

ENCONTRANDO-ME


Nestes dias, aprendi algo importante sobre a
vida, e sobre mim também.

E que eu já havia desistido de mim e agora por
um lapso necessário pude reencontrar um
razão verdadeira pela qual viver.

Sei que parece meio bobeira e tudo mais, mas
depois de tentar tanto recomeçar eu agora
sinto que posso ser eu e mesmo assim ser mais
feliz.

Sei também que algo dentro do meu peito
despertou e eu realmente mudei.

Sei [ perceberam o quanto agora sei], que tudo
foi vão e um esforço inútil para alcançar o
vento. Não importa, agora sei por onde ir,
afinal sei aonde quero chegar.

Penso que mesmo se não houver amor,
sorrisos de aprovação, mesmo sem palmas e
beijos, mesmo sem mãos estendidas e longos
olhares de compreensão ou ate respeito,
mesmo sem isso eu vou seguir sorrindo,
porque encontrei meu tesouro e com ele estará
para sempre meu coração.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Dedicação



Ouço tua voz ao longe
Quem dera perto pudesses estar!
Sentir teu aroma em meu corpo
Sentir o meu peito vibrar...

Dedicaste-me o teu sentimento
Tens a ilusão de me ter do teu lado...
Eu já te sinto tão perto
Acho que já quero você!

Dedicas-me teu pensamento
Tuas horas são todas para mim
Teus sorrisos me iluminam e alegram
A ânsia por teu beijo me angustia
Não amá-lo é muito dificil!
Não querô-lo é uma covardia!

Dedicates a mim e cuida da tua flor
Ela será então... Tua para sempre!

Queria poder dizer Amo-te hoje e sempre
mas amanhã será mais fácil
Não dizer....
Amar você!

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

POR UM MINUTO


O amor que senti neste instante era o
  mais verdadeiro e puro que pude
            experimentar...
 
    Não, tu não crestes neste meu
infindo sentimento por ti, é verdade,
   deixaste-me perdida em meio a
      lágrimas tristes e sozinhas.
 
Lutei contra meu próprio peito. Não
  pude conter este sentimento forte
 que emanava de mim e confessando
que te amo me perdi completamente.
 
 Se te dissesse hoje que já não o amo
  mais, acredites, estaria mentindo
     para mim e seria uma infeliz
    mentira, porque hoje mais que
       ontem eu ainda amo você!
 
Talvez amanhã quando toda dor que
habita meu coração tenha sumido eu
possa lembrar sua doce passagem em
          minha vida e sorrir.
 
   Talvez amanhã quando todos os
  motivos estiverem às vistas, então
    quem sabe eu possa entendê-lo e
       deixa-lo seguir sem mim?
 
   Talvez amanhã quando o sol sair e
   seus raios iluminados tocarem sua
 face morena, quem sabe você não se
 descobre apaixonado e volta para os
         meus braços ansiosos?
 
 Talvez haja sim uma razão para sua
 ausência tão sentida por mim.       E
  talvez, também, você encontre uma
   razão, mesmo que seja uma razão
   boba, para voltar para minha vida.
 
Mas antes de você não se importar eu
   já me importava tá bem? Antes de
    você sorrir para mim eu já amava
 você, antes de me prometer o céu eu
  já desejava seu olhar flamejante de
lua e antes de deixa-lo ir para sempre
 quero que volte e me ame, nem que
           seja por um minuto!