terça-feira, 9 de agosto de 2011

Ausência

Longos dias estes de inverno
Quando as gotas de chuva
Fazem graça em minha face
Eu? Eu não me importo
Escondo as lágrimas, disfarço o choro
Seguindo em frente, mesmo tão só.

Quando amanhã lembrar-se de mim
Espero trazer-lhe aos lábios um sorriso
Lembrarás dos meus olhos apaixonados?
Ou talvez de minha voz macia,
Meu abraço quente, meus lábios saborosos?
Lembrará então que meus braços 
Estão vazios e minha alma
Intensamente entristecida por tua ausência.

Existem muitas lacunas em minha alma
Sua presença acalma meu espirito
Eu amo você! Então porque você não me ama?
Cura então este vazio no meu peito e 
Vem me mostrar a graça de se estar viva!