quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Incoerência



Eu ainda não amo você!
Eu ainda não estou apaixonada!
Não pretendo machucá-lo
Só por amar ser sua amada.

Não, não chora meu menino
Ainda muitas aguas rolarão
Passaremos toda nossa vida
Tentando encontrar este sentimento?
Será que não é só um sonho?
Somente coisa de um momento?

Não! Não me diga adeus agora.
Não! Não se vá com esta dor.
Ainda creio ser muito cedo
Para sofrermos por este amor.


Não vamos falar do amanhã.
Nem fazer planos para o futuro.
Vamos sorrir para o hoje...
Tentar ser feliz por um pouco...
Então assim, sem pressa de nada
Chegará o amanhã e acordaremos
Um nos braços apaixonados do outro
Até que não haja vida alguma em nós.
Ou até que o amor nos consuma, nos invada
E nos enlouqueça!


Incoerência essa minha de não amá-lo, mas...
Desesperadamente querê-lo!
De ardentemente desejar você para mim!
De sonhar com seus beijos de lua e
Já no fim da noite chamar seu nome baixinho
E dá boa noite querido!

Não. Eu ainda não amo você!
Sim. Eu sei que estou mentindo...