quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Vazio

         Estes dias tenho sido assaltada irremediavelmente por um grande vazio. Algo que vem de dentro, sabe? Um vazio tão grande. Pode ser falta de um amigo, de um amor, de um carinho, talvez até de um sorriso sincero, uma voz meiga que me diga que tudo ficará bem no fim do dia. Eu sinceramente não sei de onde vem este vazio que me inunda tão profundamente. Acho que ele vem do interior de minha alma. Não, este vazio não é comum, e também não é meu total inimigo. Apenas agora ele tem me incomodado um pouco. Sinto fome! Não é a fome que faz com que alimentemos nosso corpo não! É a fome da alma. Fome de amor, de carinho sem interesse, sem falsidade, de um abraço apertado e simplesmente sincero!Ultimamente este vazio em mim tem me causado um certo incomodo, uma vontade de não ter ele dentro do meu peito, uma sensação que ele está me sufocando, me impedindo de respirar...

Então, confesso que não é fácil admitir para mim que agora estou tão só. Mais que isso, agora o que mais me doi, e que de certo modo, corrói minha existência, é que sinto um vazio que não posso explicar nem para eu mesma.Não, não me julguem amargurada. Até poderia ser, razões eu tenho pra isso, mas longe de mim assumir-me assim. Sinto um vazio que advem de uma saudade inexplicável da felicidade, da amizade sincera, do amor de verdade, daqueles que nos fazem perder o sono, saudade de um sonho bom que passou tão repentinamente.
     Então, eu e meus entãos, amigos, amor, desconhecido somente, me dêem um chance e se toparem comigo por aí, apenas sorriam para mim. Não precisam manifestar-se mostrar que se importam, basta sorrirem e poderei saber que este vazio que sinto vai passar logo, logo...