domingo, 27 de maio de 2012

Hora do Adeus!




http://2.bp.blogspot.com/_TzOFxO4HX0s/TUkDFRnQixI/AAAAAAAAADI/Jwa_KCiAuXs/s1600/casal.png

"- Não estou entendendo esta conversa. Afinal, Philip, onde quer chegar com isso?
- Olha, Minha Querida Menina- Mulher, não quero machuca-la, jamais o faria concenciosamente, mas acho que esta aproximando-se rapidamente a hora do Adeus!
- Como assim, Hora do Adeus, do que esta falando? Você esta me deixando nervosa. Não estou entendendo nada do que esta acontecendo aqui, o que deu em você?
- Sabe, que quando mergulhei nessa aventura, eu admito e sempre fui sincero, era uma coisa grande dentro de mim esse sentimento, mas na vida tudo que parece eterno acaba um dia e isso já esta acabando... Perdoe-me a sinceridade Querida...!( Ele disse essas palavras e beijando-lhe ternamente a testa afastou-se para sempre...)"

   Foi exatamente assim que ela soube que não existia eternidade alguma para os sentimentos e que a efemeridade da paixão contamina qualquer tipo de relação humana, tornando-a inicialmente necessária, depois um fardo, depois um nada!
   Aprendeu que definitivamente não importa quantos estejam do seu lado agora, você realmente sempre estará um pouco só!

sábado, 26 de maio de 2012

O VENTO DO AMOR!


   Perguntei para o vento o porquê dele passar tão rapido por nós toda manhã, como se pudesse beijar-nos lentamente e ir-se sem nenhuma responsabilidade de dano. Ele amigavelmente, tirando um tempo em sua agenda lotada e mediante uma fila de espera enorme para conseguir encontra-lo, disse-me que a vida era assim... Disse-me que eu deveria,"Minha flor, Tu deves..." foi assim que ele me falou, que eu deveria ter compreensão de que a vida são instantes e que nós não podemos jamais ficar presos no passado. Nossa conversa foi mais ou menos assim...
 - Vejo, Meu Caro, que todos dizem o mesmo, não nos prender no passado, mas evidencio em vários aspectos de minha vida que aqueles que me dizem isso baseiam seu conselho em algum passado, alguma experiência, e de certo modo eles também não estão presos em algum lugar no tempo-espaço?
- Minha Flor! É que as coisas não são unilaterias como hoje Tu enxergas. Viver o passado é que é ruim. Tu perderias teu agora se estivesses a pensar na hora que ainda esperavas esta chance de conversa. Eu mesmo me perderia em algum lugar do tempo se não tivesse em mim, por Dom Sagrado, uma certa medida de equilibrio e constância. Eu sei onde estou agora, e o porquê de está lá, e para onde seguirei no próximo miléssimo, quando ainda nem sentiram minha presença. Estou aqui e acolá. Esse meu Dom, exige de mim, uma certa dose de desapego. Não poderia tocar-te sem te deixar uma leve e suave sensação de caricia. Eu sou assim! É minha natureza, sou leve! Mas, sei também que não poderia ficar a te mirar, admirar o amendoado de teus olhos ou sentir o cheiro do teu cabelo, porque se isto sucedesse, perder-me-ia em você. Deixaria de ser eu! estaria tranformado...
- Mas, então não podes sentir o Amor, porque isto seria perder-se?
- Sinto um Amor, maior que todos os amores. O amor puro que sinto não pode prender o ser amado, eu o amo em silencio, eu o sinto quando ele está 'achando' que esta só, eu o acolho quando ele se julga desnecessario ao mundo. Eu sou aquele quem tem um Amor maior para oferecer. Não aprisiono os beija-flores porque sei que os estaria poupando alegrias, estaria egoisticamente roubando-lhes a vida. E isto é amor? O Amor que os homens podem oferecer uns aos outros seria insuficiente para permitir que o outro seja livre! E, no entanto há de concordar comigo que sem liberdade o homem nada mais é do que um infeliz escravo.
- Mas, todos precisamos de Amor! Prendemos porque Amamos! temos medo de perdê-los!
- Você Minha Pequena, parece-me muito inteligente, de uma inteligência emocional que me cativa pessoalmente, mas deveria ouvir-se dizendo estas palavras, como soa terrivel, mesmo vindo de uma linda princesa. ( Neste instante o tempo interferiu na conversa e revoando sinistramente no espaço, fez-me ouvir minhas próprias palavras, e confesso que me assustei com o uivo maldito que elas pareciam ser, maculava toda crença e idealização de um amor.) Então não podemos amar de verdade, genuinamente a outros porque nosso desejo de possui-lo nos faz sufocá-lo?
- Isto é uma fato! Vocês sufocam aos seres amados. Mas, isto também não é uma premissa da incapacidade de amar. É que se tirassem um tempo para verem como estão olhando para o outro, a quanto tempo não o conseguem enxergar verdadeiramente,  e pior, o quanto vivem tentado 'enfeitar' seus defeitos, a invés, de aceitá-los, perceberiam, não sem alguma tristeza no olhar, que amar é realmente outra coisa... Não é superioridade de força não! É conselho de Amigo. Um amigo presente que está sempre a ver está flor tão só e desolada. Um amigo que sabe o que está errado e ao contrário de muitos que apedrejam, está abrançando-a! Porque ao contrário do que ela supõe, ele nunca a beijou sem calcular o dano. Sempre soube que plantara em sua alma algo muito especial e que ao passar dos anos ela poderia revelar ao mundo umas verdades simples, mas ignoradas, com uma beleza de expressão que tocaria profunadamnete a alma de seus leitores sensiveis.
- Nossa! Estou feliz por ouvir isso! ( Sorri ao sentir que ele me abraçava, e desta vez de um modo muito especial...)
- Mesmo com essas lágrimas de saudade desabrochando d'alma desta Minha Pequena Flor, eu devo ir agora, antes que coloque tudo a perder olhando nos teus olhos, antes de me perder em você, eu devo ir... (Ele se foi, eu o senti partindo e acenei-lhe feliz por sua existencia e triste por sua partida...)
- Estava sozinha com meus pensamentos, mas não totalmente sozinha!
       E foi assim, com o Meu Grande amigo Vento que eu aprendi um pouco sobre o genuino significado da palavra AMOR!

domingo, 6 de maio de 2012

MUDO AMOR...

  
  Queria ter contado isso a um amigo, mas estavam todos muito ocupados, resolvi, para não perder a história contar para todos os amigos que lêem este blog. E uma comovente prova de que mesmo no silêncio de uma vida pode existir um amor verdadeiro... É uma história real, mas como não a conheço de fato, apenas observei seus personagens hoje e senti vontade de falar deles, de admirar o seu amor, eu vou 'imaginar' que eles são frutos de minha criatividade.
  Paula, essa moça baixinha e esbelta, meio atrapalhada, que eu vos apresento agora, ela estuda muito, ela caminha toda tardinha e gosta de pássaros e flores, e, a natureza silenciou desde muito sua linda voz. Ela sentiu-se muitas vezes como um pássaro, como um peixe fora d'água... Hoje, alias, a algum tempo ela descobriu que viver no silêncio não é, nem poderia jamais ser, um barreira para o amor.
 Fábio, este agente de endemias é um rapaz muito respeitado e admirado na cidade. Ele é super distraído e gosta de futebol e animais, gosta da ideia de lecionar e por isso, quer ser biólogo. Ele, há pouco descobriu que a mulher da vida dele é a "Dama do silêncio" . 
  Ele a encontrou um dia quando trabalhava no bairro em que ela mora. Ela estava com uma jarra de agua aguando suas violetas. E que violetas lindas! Apenas a beleza dos olhos de Paula poderia ser mais intensa do que a daquelas belas violetas! Isso não passou desapercebido de nosso querido Fábio. E aproximando-se dela, ele apressadamente se apresentou.
- Bom dia! Meu nome é Fábio, sou o agente de endemias daqui do seu bairro. Nossa você é tão linda, nunca havia notado você por aqui, é nova nessa cidade? ( Ela sorriu, era linda sorrindo, pensou ele!) Esperando uma resposta qualquer ele estava ansioso.
- Não vai me responder? Olhe, não me leve a mal pelo Amor de Deus, eu só quis ser gentil, você é tão linda! ( Então ela o olhou com tristeza no olhar e sorriu, mas agora um sorriso de impossibilidade... Ele entendeu... Ele a amou!Ela soube que ele seria o certo, porque seus olhos disseram para os delas que eles podiam conversar no silencio. Seu mundo num piscar de olhos ganhara uma cor singular, a cor de toda cor que o amor traz para vida dos amantes.)
  E foi assim, namoraram, conheceram-se, casaram-se e hoje, eu os vendo juntos, entendi que tamanho pode ser o amor. Imensuravelmente gigantão! Não precisam de palavras, ela tocou em seu braço, sorriu e ele soube o que ela dizia. Eles tem o poder de sentirem-se e sentir é mais forte e mais importante que falar!
  Aprendi que palavras podem ser dispensáveis, mas sentimentos não! Eles se completam no silencio... Uma amor grande, bonito, feliz e MUDO!

quinta-feira, 3 de maio de 2012

MEU CORAÇÃO


MEU PRIMEIRO IMPULSO É DIZER...



 DEPOIS EU LEMBRO DO PASSADO, DAS LIÇÕES QUE APRENDI E ENTENDO QUE NÃO DÁ, AGORA QUE ELE JÁ ESTÁ SARANDO... AINDA NÃO DÁ!





quarta-feira, 2 de maio de 2012

O CASAMENTO


Sim, eu tinha um plano, a gente se conhecia, casava e ia embora...
Sim, era só mais um plano e como todo plano que se dê ao respeito, este também falhou!
Eu sei que o que vou contar pode despertar o senso critico de muitos, mas fui eu que tomei a iniciativa de viver aquilo, fui eu que quis enfrentar o mundo por ele, eu que pedi ele em casamento! Ele foi mais razão. Ele foi mais sentido, palavras e razão! Eu, emoção pura desfazendo-me em um gozo ridículo, crente de que esse amor poderia superar até a muralha da china em grandiosidade, acho agora que sonhei sozinha. Eu esperava ansiosa seu sim. Sim, porque quando eu pedi ele em cassamento, eu esperava que ele ficasse feliz, e ele ficou, e depois viesse correndo para meus braços e dissesse um sonoro, claro e especifico SIM Meu amor! Mas, nada disso se passou... O que se passou foi o seguinte:
- Casa comigo Amor?
- Do que você esta falando?
- Casamento! Viver juntos para sempre! Noivo e noiva dizendo sim um para o outro, Casamento ué, casamento!
- Você tá falando casamento? Quer dizer, quando diz casamento quer dizer ca-sa-men-to?
-Sim, Amor! Casamento sim. Quer ou não quer?
- Bem, na verdade eu não quero! 
-É o quê?
- Na verdade eu quero, mas não agora... Entende?
-Não, eu não entendo, mas te dou a honra de explicar antes de manda-lo' aos quintos'... ( Furiosa)
- Eu acho que casamento e uma coisa muito seria Amorzinho! Não se pode casar de um dia para o outro. E ademais, a gente se conhece pouco e ainda não sei se quero arriscar deixar de ser solteiro para dividir toda minha vida para sempre com você, não me leve a mal, mas você é meio doidinha. Eu não tô reclamando não, eu gosto do seu jeito, mas sei lá, homens gostam de mulheres previsisveis. Gostam de saber que quando chegarem em casa terão uma mulher com um humor presumível, um jantar tradicional, uma lingerie conhecida, essas coisas. Pode entender?
- Não, eu não posso entender! ( Eu gritava de raiva!)
- Mas, é muito obvio, que homem em sua sã consciência iria aceitar um pedido de casamento de uma louca? Um mulher linda, deslumbrante, inteligente e esperta, mas com o "gênio do cão" que você tem? Minha Flor, Meu doce, Meu Céu, Eu a amo e poderia aceitar esse pedido. Mas, eu sei que amanhã sua vontade de casar terá passado. Eu já a conheço e que faria se hoje eu quisesse de bom grado casar-me e amanhã ao acordar mudasse de ideia? O que faria?
- Eu? Ora, pois, eu... Eu, bem... Eu não queria casar mesmo! ( Dei as costas vencida pelo maravilhoso raciocínio do Homem que escolhera, sabia que ele estava certo, e o que eu faria?)
- Espera Amor, disse ele puxando-me delicadamente pelo braço e abraçando-me.- Você é meio louca sim , é meio geniosa e gosta de ser autoritária, mas Eu a amo assim mesmo... E saiba que no dia que souber que estamos prontos, eu mesmo te farei esse pedido. ( Sorri compreensiva e ele me beijou.)
E foi assim que aprendi uma importante lição sobre o tempo certo das coisas...
Há meses espero ansiosa seu retorno e seu pedido. Agora eu SINTO que ele SENTE que estamos prontos! E eu também SINTO!





SONHEI COM VOCÊ...


   Eu não devia ficar por ai contando tudo que sinto e sonho, mas a impulsividade de que o mundo conheça meus sentimentos me move como um sonho de liberdade para um cativo escravo. E aqui estou pra te contar que sonhei com você. Foi bonito, na verdade mais que isso, meu sonho foi belo. Era sobre o dia em que finalmente caiam os muros da distancia e nossos braços tocavam-se e sentiam-se apertados um no outro. Foi um sonho de amor, Meu Amor!
  E tento recordar aquela cena de reencontro apaixonado... E brilham meus olhos com o frescor das lembranças que se albergam dentro de mim. Foi, exatamente como eu desejo que seja, feliz, confortável, e mais que tudo esperado e desejado por ambos. Eu podia sentir pelas batidas aceleradas do teu coração que tu me esperavas a vida toda! E, que coisa magica! A vida nos presenteou com um feito e pronto para o outro. Naquele momento da estrada Amor, naquele momento difícil em que nossas mão estavam esgotadas de falsas pedras preciosas, e nossos olhos eram violentados com brilhos falsos e ínfimos, naquele instante os nossos corações se reconheceram e nossos olhares de sincera disposição de amar se entregaram e nós nos tornamos um casal feliz, mesmo tão longe... E quando finalmente a vida permitiu estarmos juntos, foi num sonho! 
  E que sonho mais maravilhoso este de não ter de caminhar sozinha nos fins de tarde, de não ter que olhar para o sol do entardecer com uma duvida sobre o amanhã, sobre o outro, de não ter de tomar sozinho o rumo de casa, de uma casa que nem é lar, de uma casa vazia e sem vida, sem sorrisos, sem teus olhos em cada lugar, sem teus toques nas paredes e teus sorrisos nos cômodos. E não ter mais a incerteza de noites frias e solitárias. E não ter mais de conversar com as gotas de agua da chuva que semelhante a tuas lagrimas também trazem a solidão. Como é bom não ter mais que ir para cama sozinha e fazer do leito um abrigo contra o mundo, agora teu peito amoroso é meu abrigo. São teus acolhedores braços de fé e amor e caricias e desejos que me acolhem... E como sou feliz! E quando acordar pela manhã, não haverá um gosto de nada em minha boca, não haverá uma perda inestimável em meu peito, e mesmo sabendo que acordarei e não te encontrarei lá, eu sei que toda esta noite fostes meu e estivestes a fazer-me cafuné ate que adormeci sobre teu peito. Mesmo você ainda não podendo esta lá, saiba que eu, meu Amor, eu sonhei com você...