sábado, 26 de maio de 2012

O VENTO DO AMOR!


   Perguntei para o vento o porquê dele passar tão rapido por nós toda manhã, como se pudesse beijar-nos lentamente e ir-se sem nenhuma responsabilidade de dano. Ele amigavelmente, tirando um tempo em sua agenda lotada e mediante uma fila de espera enorme para conseguir encontra-lo, disse-me que a vida era assim... Disse-me que eu deveria,"Minha flor, Tu deves..." foi assim que ele me falou, que eu deveria ter compreensão de que a vida são instantes e que nós não podemos jamais ficar presos no passado. Nossa conversa foi mais ou menos assim...
 - Vejo, Meu Caro, que todos dizem o mesmo, não nos prender no passado, mas evidencio em vários aspectos de minha vida que aqueles que me dizem isso baseiam seu conselho em algum passado, alguma experiência, e de certo modo eles também não estão presos em algum lugar no tempo-espaço?
- Minha Flor! É que as coisas não são unilaterias como hoje Tu enxergas. Viver o passado é que é ruim. Tu perderias teu agora se estivesses a pensar na hora que ainda esperavas esta chance de conversa. Eu mesmo me perderia em algum lugar do tempo se não tivesse em mim, por Dom Sagrado, uma certa medida de equilibrio e constância. Eu sei onde estou agora, e o porquê de está lá, e para onde seguirei no próximo miléssimo, quando ainda nem sentiram minha presença. Estou aqui e acolá. Esse meu Dom, exige de mim, uma certa dose de desapego. Não poderia tocar-te sem te deixar uma leve e suave sensação de caricia. Eu sou assim! É minha natureza, sou leve! Mas, sei também que não poderia ficar a te mirar, admirar o amendoado de teus olhos ou sentir o cheiro do teu cabelo, porque se isto sucedesse, perder-me-ia em você. Deixaria de ser eu! estaria tranformado...
- Mas, então não podes sentir o Amor, porque isto seria perder-se?
- Sinto um Amor, maior que todos os amores. O amor puro que sinto não pode prender o ser amado, eu o amo em silencio, eu o sinto quando ele está 'achando' que esta só, eu o acolho quando ele se julga desnecessario ao mundo. Eu sou aquele quem tem um Amor maior para oferecer. Não aprisiono os beija-flores porque sei que os estaria poupando alegrias, estaria egoisticamente roubando-lhes a vida. E isto é amor? O Amor que os homens podem oferecer uns aos outros seria insuficiente para permitir que o outro seja livre! E, no entanto há de concordar comigo que sem liberdade o homem nada mais é do que um infeliz escravo.
- Mas, todos precisamos de Amor! Prendemos porque Amamos! temos medo de perdê-los!
- Você Minha Pequena, parece-me muito inteligente, de uma inteligência emocional que me cativa pessoalmente, mas deveria ouvir-se dizendo estas palavras, como soa terrivel, mesmo vindo de uma linda princesa. ( Neste instante o tempo interferiu na conversa e revoando sinistramente no espaço, fez-me ouvir minhas próprias palavras, e confesso que me assustei com o uivo maldito que elas pareciam ser, maculava toda crença e idealização de um amor.) Então não podemos amar de verdade, genuinamente a outros porque nosso desejo de possui-lo nos faz sufocá-lo?
- Isto é uma fato! Vocês sufocam aos seres amados. Mas, isto também não é uma premissa da incapacidade de amar. É que se tirassem um tempo para verem como estão olhando para o outro, a quanto tempo não o conseguem enxergar verdadeiramente,  e pior, o quanto vivem tentado 'enfeitar' seus defeitos, a invés, de aceitá-los, perceberiam, não sem alguma tristeza no olhar, que amar é realmente outra coisa... Não é superioridade de força não! É conselho de Amigo. Um amigo presente que está sempre a ver está flor tão só e desolada. Um amigo que sabe o que está errado e ao contrário de muitos que apedrejam, está abrançando-a! Porque ao contrário do que ela supõe, ele nunca a beijou sem calcular o dano. Sempre soube que plantara em sua alma algo muito especial e que ao passar dos anos ela poderia revelar ao mundo umas verdades simples, mas ignoradas, com uma beleza de expressão que tocaria profunadamnete a alma de seus leitores sensiveis.
- Nossa! Estou feliz por ouvir isso! ( Sorri ao sentir que ele me abraçava, e desta vez de um modo muito especial...)
- Mesmo com essas lágrimas de saudade desabrochando d'alma desta Minha Pequena Flor, eu devo ir agora, antes que coloque tudo a perder olhando nos teus olhos, antes de me perder em você, eu devo ir... (Ele se foi, eu o senti partindo e acenei-lhe feliz por sua existencia e triste por sua partida...)
- Estava sozinha com meus pensamentos, mas não totalmente sozinha!
       E foi assim, com o Meu Grande amigo Vento que eu aprendi um pouco sobre o genuino significado da palavra AMOR!