quarta-feira, 14 de novembro de 2012

CONFISSÕES À LUA

    Esta noite a lua linda levou meu coração a confissões intimamente serenas, não são dores, nem lágrimas, são só duvidas, vazios que precisam ser preenchidos por boas respostas, ou não, na verdade não sei. Apenas o que sei é o que meu coração me soprou e eu escrevi abaixo...

     A dúvida que tem no meu peito
     É o porquê de ninguém conseguir
     Em sua plena vontade
     Amar a minha alma...

"És tão bela por dentro, esbelta é tua alma"
"És um anjo para mim, acalentas meu espirito"
"És um ser maravilhoso"
"És uma estrela iluminada no céu de meu existir"
"És como uma flor sublime em sua beleza esplendorosa"
 "És como um Lirio do campo"
"És magnificamente deslumbrante e doce"

De tudo que já ouvi, disse meu coração,
De tantas emoções que senti
Para depois ouvir algo que é exatamente assim...
" MAS, ( meu coração estremece ao ouvir) EU NÃO CONSIGO AMAR VOCÊ!"

Então, chega de flores e doces...
Chega de palavras e carinhos...
afagos noturnos e sonhos ...
Pois, para viver iludido
Admito entristecido, é melhor viver sozinho...

"Meu anjo, minha doce flor
Você que tanto é querida
Caminhara eternamente sozinha
Por esta longa estrada da vida!"

      Isto que a lua me disse me deixou meio pensativa... Meu coração me mandou e aqui estou a escrever... Sem mais delongas no caso, antes que eu me perca ou antes que eu caia num pranto sem precedentes dou este assunto por encerrado.