quarta-feira, 21 de novembro de 2012

DESABAFO


Olha só que droga, quando eu finalmente achei que te tinha encontrado, você do nada resolveu que não queria me amar!
Quer saber se esta doendo? Quer saber se eu acho que você é um canalha, idiota, que não sabe valorizar um sentimento verdadeiro e que não vale sequer uma lágrima destas que estou a derramar? Quer realmente ouvir as verdades que estão guardadas dentro de mim e que mais cedo ou mais tarde vão eclodir e destruir algo bonito que eu tanto lutei para construir? Ou quer que eu vá embora agora com todas essas verdades convenientes amarradas dentro de mim?
Quer saber do que mais você foge? Foge de você, dos seus defeitos e seus medos. Não vou fugir! Sua covardia não dá mais. Esconde-se numa eterna mascara de racionalidade para esconder seus fracassos pessoais e não lutar e desistir sem tentar, como sempre. Não posso compartilhar dessa sua constante mania de dizer adeus sem mais nada. É só isso e pronto. Mas, não sou você. Não, não sou racional, sou louca, emotiva, sentimental... Esta sou eu e você já sabia desde antes.
    Desabafo porque estou sufocando... Mentiras sufocam... Verdades também!