sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

O ANJO E A FLOR!

Estava no lado do mundo mais habitado. O cheiro de gente junta me dá nauseá. Vejo um homem que bebe cerveja perdido no meio da multidão de outros seres que riem sem razões aparentes e que para mim não tem nenhum significado. Ele também sorri. Tem um sorriso besta, apático, amarelo e ridículo estampado na face. Penso comigo que se tivesse uma rede social não teria um convite sequer, mas os que o aceitavam era por pena ou vergonha de simplesmente rejeitá-lo.
Tem um silêncio amargo gritando dentro de mim e um rosto na multidão de rostos me faz lembrar de você. Sorrio feliz por um segundo... Agora já não sorrio, estou seria, compenetrada, carrancuda. Não dá para sorrir ali tão sem você. Estou entediada e olho o caminhar mediócre da vida cotidiana e admiro intimamente o monstruoso e ao mesmo tempo DIVINO milagre de existir! O homem mais velho, mais livre, menos cívico se afasta da mesa e muito de mim vai com ele... Impregnado em suas duvidas... Minhas duvidas o acompanham pelas vielas afora...
Vem na minha mente tua presença... Aquele dia e aquelas palavras que nunca poderiam sair de mim... E só de lembrar, meu dia tão comum fica colorido de vibrantes cores alegres!
- O que houve com você- Disse-me curioso.
- Sou um jardim abandonado, mas já fui praça!
- Pode ser praça de novo! -O anjo me sorriu!
- Posso?
- Claro que sim! Olha só Minha Flor, todo jardim quando bem cuidado, quando regado com aguas delicadas e caricias abundantes, quando sente a dedicação o cuidado e a espera, ele simplesmente deixa de ser apenas o que é e se transforma... Quer ser praça?
- Sim, quero muito ser praça!

E foi assim, você, Meu Pingo de Céu me tocou e uma metamorfose desdobrou-se dentro de mim ocasionando o milagre da vida! E agora, enquanto espero para te encontrar os minutos parecem eternas horas... Estou há cinco minutos aqui e parece uma eternidade sem você!