segunda-feira, 24 de junho de 2013

A DISTÂNCIA ENTRE NÓS

 
" Era segunda-feira e a gente acabava de se conhecer, era um dia especial. A gente sabia que ia ser difícil, mas nem eu, nem você poderíamos ao menos pensar em não viver isso... Toda vez nossa história começava assim, meio como um conto de fadas, com um 'Era uma vez...' tão sonoro que doía na alma não ter tempo de ouvi-la toda. Passamos a dividir sonhos e passos e não podemos nos separar agora. A distancia entre nós nunca existiu, NÃO PODERIA COMEÇAR A EXISTIR AGORA!
  ****
  Quando Linda escreveu isso pra Marcio, ela sabia que esse passo mudava tudo. Ela estava assumindo que as dores dentro dela só cresciam. Assumia seu desespero em vê-lo indo a cada dia e sentir-se imóvel, sem poder fazer mais nada pra que não fosse. Ele, talvez estivesse muito distraído pra perceber que ia. Estava envolvido e nem notava como já mudara e quanta falta estava fazendo. Essa mensagem num outdoor da cidade era um apelo ao amor, um choque necessário, um grito de socorro pra que uma coisa divina não desaparecesse assim, sem ser notada. O seu amor estava se distanciando aos poucos, ela sentia que a cada dia ele estava menos com ela. 
  Quando li aquilo eu soube do que ela falava. Senti como se olhasse meu próprio reflexo num espelho triste...Não era sobre tempo, sobre obrigações. Era sobre sentir-se próximo, fazer parte de outro mesmo de longe. Sabe, sentir que você esta nos olhos dele, na pele, no sorriso! E quando já passa a ver-se vazios e silêncios insignificativos, ai sim tudo está indo mal... E aquela tristeza que perdura, aquelas lágrimas que insistem em cair, aquele sorriso cheio de uma alegria que não mais nos visita, aquela monotonia de não esta mais perto pra resolver isso com olhos nos olhos, nada mais tem graça, a vida e as horas já não tem nenhum sentido, ai, somente aí, é que finalmente alguém atento percebe que esta passando a magia, que o sonho pode estar morrendo e que a distancia que se plantou entre nós esta nos roubando do outro. E nesse segundo o tempo e o mundo e as estrelas mudas param diante de nós. E nesse segundo triste passamos a deixar de ser pra simplesmente sentir que não pode ser assim... E não pode mesmo ser assim!
  E quando refleti sobre aquela tristeza, sobre aquela dor secreta que tão vorazmente acabava de ser revelada, eu lembrei que em mim existe uma saudade. Lembrei de uma dor leve que se infiltra em mim... Uma saudade de colo que afugenta minha alma feliz, que a deixa chorosa e vazia. E eu, como a Linda, também gostaria de fazer um apelo a todos os 'Marcios' que estão na vida das 'Lindas' , mais que não deixar morrer o amor, a magia e o sentimento de estar juntos, por favor, voltem ao coração, sejam os mesmos que nos encantaram, os mesmos que amamos!
  Era assim que a Linda terminava seu grito... E é assim, com as palavras dela que termino esse conto.
  "Me devolva você! E volta  a morar no meu coração!"