terça-feira, 3 de dezembro de 2013

SOLITÁRIO


E ao som do violino
Das doces notas que tocava
Eu flutuava
Apaixonava-me por suas dedilhadas certeiras
E os olhares ébrios
Que eram uma musica secreta!

E sua musica era minha vida
Tocando por divino ser de inimaginável serenidade
E sentida por este
Ser tão sorrateiramente solitário.
E tudo não existia mais...
Éramos somente nós dois...
Eu, você e aquele som pra sempre!