quarta-feira, 23 de julho de 2014

MÁGICA LUNAR



Quando entramos em casa estava frio lá fora, a previsão do tempo indicava que poderia nevar. Tínhamos uma boa garrafa de vinho branco envelhecido sobre a mesa de centro, dois japoneses para forrar o estômago, um jarro com orquídeas e duas taças ansiosas. Um cobertor de lã e fibras e um assento diante da lareira. Íamos comemorar em grande estilo, afinal não é todo dia que se encontra o amor da sua vida. Tínhamos uma sensação boa de aconchego e conversa para uma noite, ou a vida, inteira. E foi assim que começamos a descobrir a felicidade a dois.
*****
Eu conheci o Sebastian numa livraria que fica no quarteirão ao lado da minha casa e é um anexo de um café que sempre frequento nas quartas quando tenho um tempinho sobrando. Eu, uma farmacêutica recém-formada, e Sebastian um astrônomo brilhante com um imenso conhecimento, e eu sei que ele vai longe. Um dia estava com ele diante do mar e comentei ‘ você vai longe’ e ele sorriu e me respondeu ‘não tenho muitas certezas na vida, não sei até onde vou chegar, mas uma coisa é certa... Quero você ao meu lado’. Temos uma cabana no topo da colina Simers, vemos o céu juntos e admiramos tudo. Gosto do jeito como ele tenta me fazer achar as três Marias, apontando-me onde a lua está e onde estão cada uma das constelações que dele são tão familiares.
No nosso aniversário, dia 28 de julho, ele me levou no observatório nacional e me deu o melhor presente que já ganhei na vida. Naquela noite vimos uma chuva de meteoros e a lua... Senti-me tão emocionada, ver a lua tão de perto, quase podia sentir como se tocasse nela com meus olhos. Uma grande emoção toma conta de mim e agradeço-lhe por me fazer viver aquele momento. Ele sorri feliz, abraça-me e diz a coisa mais bela que já ouvi na vida.
- Meu céu, quando te conheci você estava decepcionada, vinha de um amor unilateral e fracassado. Tinha cicatrizes e até feridas emocionais abertas no peito. Mas, vi em você a lua... Sabe por quê? A lua é ‘deformada’ por suas crateras, elas são análogas as cicatrizes que todos temos. Mesmo assim, nunca perdeu seu brilho, nunca deixou de ser fascinante e interessante, é sempre a mais bela de todas cada vez que aparece. Ela é sempre única... Ninguém nunca vive duas luas idênticas na vida.  E ela tem milhões de apaixonados que a contemplam e a namoram eternamente. Então, o que são nossas cicatrizes diante das imensas crateras na lua?
Seu pensamento era reflexivo e inteligente e ainda mais comovente pelo som da voz embargada de sentimento que o pronunciava.  Sorri e o abracei forte. Senti o seu amor, ele não precisava me dizer nada. Ele beijou minha testa docemente sussurrando baixinho ‘ Você é minha lua’.